fbpx
30% off

Composição de parede Retrobel Mehinako - R04

R$ 550,00

Disponibilidade: Apenas 1 em estoque

Composição de parede Retrobel Mehinako – R04

 

Composição de parede Retrobel Mehinako – R04

_______________________________________
Material: Fibra natural de buriti e linha de algodão (Cestos Kuño Mehinako) e palha de taquara (peneiras).
Peças e Medidas:

2 Peneiras de palha GG: 40-50cm (diâmetro)
1 Peneira de palha M: 31-35cm (diâmetro)
1 Peneira de palha Mini: 18-22cm (diâmetro)
1 Cesto Kuño Mehinako P – R09: 27-29cm X 12cm (diâmetro X profundidade)
1 Cesto Kuño Mehinako M – R03: 29-30cm X 10cm (diâmetro X profundidade)
Total: 06 peças
* Por ser uma peça feita a partir de matéria prima natural, podem haver variações na cor da palha.
_______________________________________

Arte Baniwa: cultura, autonomia e sustentabilidade

A cultura Baniwa reúne um complexo cultural de mais de 20 povos indígenas diferentes, que vivem majoritariamente à margem dos rios, na fronteira do Brasil com a Colômbia e Venezuela. Tradicionalmente, os balaios são utilizados pelos povos Baniwa de diversas formas: para armazenamento de alimentos, para presentear seus pares em rituais e até para oferecer como cesta de alimentos.

O projeto Arte Baniwa nasceu através da parceria de três organizações* sob demanda das próprias comunidades indígenas do Alto do Rio Negro, com o intuito de proporcionar maior autonomia financeira e social às comunidades. Através do projeto Arte Baniwa, os artesanatos são comercializados diretamente com os artesãos responsáveis, mantendo todo seu valor cultural e ambiental agregado preservados.

A comercialização dos artesanatos através dessa parceria implica uma profunda mudança no modo como os artesãos se inserem nesse processo e, atualmente, a Arte Baniwa representa uma alternativa econômica viável e sustentável para a preservação dessas comunidades e também da floresta.
Como exemplo, os artesanatos Baniwa só são produzidos nas horas em que não estão dedicando seus esforços e trabalhos em prol da aldeia, ou seja, o processo artesanal não é feito em escala massificada e o tempo de produção varia de acordo com os afazeres da população.

*Organização Indígena da Bacia do Içana (Oibi), a Federação de Organizações Indígenas do Rio Negro (Foirn) e o Instituto Socioambiental (ISA)

Matéria prima da Arte Baniwa

São diversas espécies de plantas utilizadas para os artesanatos Baniwa, mas, popularmente, são chamadas de “arumã”. Uma de suas mais importantes características é seu potencial de crescimento em áreas que sofreram perturbações ecológicas e possuem solo pobre em nutrientes.

O processo artesanal dos Baniwa é completamente dependente do arumã e, assim, esses povos aprenderam a fazer sua coleta sem comprometer o crescimento e propagação dos arumãs, ou seja, estabeleceram um ciclo fechado e sustentável com essas plantas.

Viver sob tais práticas diz muito sobre os significados e os usos dos artesanatos, que também são usados pela população local para a realização das tarefas diárias. Tradicionalmente, os artesanatos de fibra de arumã são feitos (da colheita ao trançado das fibras) pelos homens das aldeias enquanto que são mais utilizados pelas mulheres no processamento e armazenamento dos alimentos.

ARTE MEHINAKO: CULTURA, AUTONOMIA E SUSTENTABILIDADE

A etnia indígena Mehinako habita as margens do Rio Xingu, dentro do Parque Indígena do Xingu, no estado do Mato Grosso. Atualmente, a população que faz parte da etnia Mehinako está entre 200 e 300 pessoas, tendo sido bastante afetados pela exploração não sustentável dos recursos do Parque.
Os Cestos Kuño, como são chamados na etnia, são itens especializados tanto para a pesca manual com cipó timbó quanto para o armazenamento de alimentos. Tanto a pesca quanto a coleta fazem parte ainda do cotidiano da população Mehinako e, atualmente, os Cestos Kuño receberam importância também comercial. Quem faz os Cestos Kuño são as mulheres da etnia e cada cesto leva de até 3 dias para ser confeccionado. As linhas coloridas que estampam os grafismos tradicionais são feitas com algodão e cada grafismo representa algo do cotidiano dos Mehinako como, por exemplo, peixes, aves e paisagens.

VALORIZAÇÃO DO ARTESANATO BRASILEIRO

O artesanato brasileiro é valorizado mundo afora, mas muitas vezes acaba despercebido pelos próprios brasileiros. Apaixonada por esses ícones da brasilidade, a Retrobel acredita em toda a identidade cultural impressa no artesanato brasileiro e busca incentivá-lo com todo o respeito e valorização que lhes é merecido.

Assim, acreditamos que objetos poderosos de significado e simbolismo são capazes de nos trazer de volta a percepção para o que é essencial e que, muitas vezes, nos escapa na corredia do dia a dia. Confiamos tanto nessa ideia que, para nós, esse tipo de artesanato é como amuleto que no aterra à realidade e ao momento presente, sendo uma lembrança constante de que, às vezes, é necessário parar por um segundo para respirar e nos realinhar com nossa essência, nossos valores humanos e nossas raízes.

 

Veja aqui outros modelos de Cestaria Indígena!

Ficou com dúvida? Clique aqui!

Peso 2.00000 kg
Dimensões 50 × 50 × 20 cm
PRODUTO INDISPONÍVEL NO MOMENTO Para ser avisado da disponibilidade deste produto, preencha o campo abaixo com seu e-mail.
Meu carrinho
Seu carrinho está vazio =(
Continuar comprando
0
× Como posso te ajudar?